Notícias

Reajuste de aluguel 2023: saiba em quanto vai ficar


Em 2022, enquanto a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 5,8%, a alta do preço médio do aluguel residencial superou o índice em quase três vezes, chegando a 16,55%, o maior valor em 11 anos.

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), por meio do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), divulgou no dia 27 de fevereiro que a variação do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) para o mês de fevereiro caiu 0,06%.

Para entender melhor o valor de reajuste de aluguel 2023, continue a ler este artigo.

O que é o IGP-M?

Antes de entrarmos de vez no assunto do reajuste de aluguel 2023, é importante entender alguns dos índices que são utilizados pelo mercado, para o reajuste.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) é o índice mais comum do mercado imobiliário para reajustes de aluguel. Ele se baseia no aumento ou diminuição dos preços em geral, e faz uma média de outros indicadores como o IPA (Índice de Preço ao Produtor Amplo), IPC (Índice de Preço ao Consumidor), IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) e INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Quem escolhe esse índice para reajustar o valor do aluguel ao longo do contrato, deve ficar de olho no quanto ele sobe ou desce e, para o cálculo, o quanto ele está acumulado até o mês da renovação. Lembrando que o reajuste só acontece no mês em que o contrato completa um ano.

O IGP-M é usado como base para reajuste da maior parte dos contratos de aluguéis e nos últimos 12 meses acumulou 1,86%, percentual que deve ser aplicado aos contratos que vencem no mês de março.

Reflexos de acordos feitos durante a pandemia

O economista André Braz da FGV IBRE – Instituto Brasileiro de Economia - explica que na fase mais aguda da pandemia, entre 2020 e 2021, muitos proprietários negociaram descontos no valor do aluguel com seus inquilinos, que passavam por dificuldades financeiras geradas, por exemplo, pela perda de um emprego.

Se durante meses os acordos foram uma forma de manter, para o proprietário, o imóvel ocupado, e para o locatário, uma forma de manter o pagamento do aluguel em dia, quando a economia se recuperou um pouco, foi hora de reaver as contas com o reajuste de aluguel 2023, segundo o economista.

"No ano passado, houve crescimento do PIB próximo de 3%. Então, nessa situação, muitos proprietários que não haviam praticado um reajuste no valor do aluguel e até que haviam dado desconto, passaram a cobrar reajustes um pouco maiores do que aqueles que estão no contrato.

A partir disso, observamos o IVAR ( Indicador de Variação de Aluguéis Residenciais) girando em torno de 9% — bem acima da inflação, de 5,8%, medida pelo IPCA", complementa Braz.

Como calcular o reajuste de aluguel 2023?

Conhecido como inflação do aluguel, o IGP-M é um indicador mensal da atividade econômica do país, englobando setores como construção civil, matérias-primas utilizadas na produção agrícola e a variação de preços de bens e serviços.

O resultado do IGP-M é uma média da inflação do produtor (Índice de Preços ao Produtor Amplo - IPA), do consumidor (Índice de Preços ao Consumidor - IPC) e da construção civil (Índice Nacional de Custo da Construção - INCC).

A distribuição do peso de cada índice para o cálculo do IGP-M é feita da seguinte forma:

  • 60% para o IPA - é o indicador que monitora a variação de preços percebidos por produtores.
  • 30% para o IPC - acompanha o comportamento dos preços que impactam diretamente o consumidor final.
  • 10% para o INCC - apresenta os custos para a construção civil, em uma análise que leva em conta a variação de preços de materiais de construção e custo de mão de obra especializada.

Além do reajuste de aluguéis 2023, o IGP-M também é utilizado como base para correção de tarifas públicas (energia e telefonia) e contratos de prestação de serviços, como educação e planos de saúde.

Cálculo do reajuste do aluguel 2023

banner acordo quero quitar

Para contratos com vencimento em março, o percentual de reajuste será de 1,86%. Dessa forma, o cálculo exato será: valor do aluguel x 1,86 = valor do aluguel reajustado.

Por exemplo, se o valor do seu aluguel é R$ 2.000, o cálculo será R$ 2.000 x 1,86, resultando no novo valor de R$ 2.037,20 a ser pago a partir de abril.

Para os demais meses será necessário aguardar a divulgação do índice para fazer o cálculo.

Compartilhe:

Artigos Relacionados

Card CTA

Na QueroQuitar você fecha acordos com até 98% de desconto!

Consulte seu CPF e veja as melhores ofertas para quitar dívidas.

QueroQuitar

Curta os nossos canais

Uma iniciativa QueroQuitar

Educação financeira é parte fundamental de uma vida tranquila. Pensando nisso, a QueroQuitar está produzindo vídeos e conteúdos para que você tenha mais conhecimento e tome melhores decisões sobre como lidar com seu dinheiro

Inscreva-se para receber nossa Newsletter preencha os campos abaixo.

Conheça nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso. WhatsApp - E-mail: contato@queroquitar.com.br
Copyright ©2015-2020 www.queroquitar.com.br, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Todo o conteúdo do site, todas as fotos, imagens, logotipos, marcas, dizeres, som, software, conjunto imagem, layout, aqui veiculados são de propriedade exclusiva da QueroQuitar S.A. É vedada qualquer reprodução, total ou parcial, de qualquer elemento de identidade, sem expressa autorização. A violação de qualquer direito mencionado implicará na responsabilização cível e criminal nos termos da Lei. Respeitamos todos os itens que nos cabe previstos na LEI Nº 12.965, DE 23 DE ABRIL DE 2014. E o DECRETO Nº 8.771, DE 11 DE MAIO DE 2016 QueroQuitar S.A - CNPJ: 54.042.668/0001-20 - R. Bahia, 843 - Higienópolis - CEP: 01244-001 - São Paulo - SP