Notícias

Golpe do pix agendado: saiba como se proteger


O pagamento por Pix, costume nacional com mais de 136 milhões de pessoas habilitadas pelo Banco Central, tem atraído também a cobiça de criminosos, que enxergam na transação que é simples e sem burocracias uma oportunidade para praticar fraudes.

O golpe do Pix agendado já é uma modalidade de crime, exigindo a atenção de comerciantes e dos consumidores. De acordo com pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), entre março de 2021 e março de 2022, o número de pessoas que fizeram mais de 30 transferências via Pix por mês cresceu 809%.

O número de pessoas que receberam mais de 30 Pix em 30 dias avançou 464%. Como mostram os números, a preferência nacional se mostra em um caminho sem volta.

A pesquisa aponta ainda que sete em cada 10 operações no país são de transações digitais em aplicativos ou sites de bancos. As transações relacionadas a pagamentos cresceram 72% no mobile banking. O cliente de aplicativo bancário acessa seu banco em média 40 vezes por mês – quase o dobro das 24 vezes registradas em pesquisa anterior.

O crescimento do hábito de pagamento online e pelo smartphone também fez os golpes e fraudes aumentarem. A Febraban alerta que as táticas dos criminosos mudam todo dia e que a melhor prevenção é estar bem informado. Para ajudar, em setembro de 2022 foi relançada a campanha “Pare e pense #podesergolpe”, que explica os tipos de armadilhas mais frequentes.

A facilidade e a alta adesão do Pix entre os brasileiros também levaram a um aumento de golpes por meio da ferramenta. Nas redes sociais, muita gente tem alertado sobre os comprovantes de transferências agendados.

Depois de usufruírem de determinado serviço ou produto, os golpistas cancelam o pagamento. A tática é bastante simples: em vez de fazer a transferência, o golpista agenda o pagamento para horas depois ou outro dia e, antes da data, cancela a operação.

Quem vende acaba não conferindo todas as informações relacionadas ao pagamento na hora e não percebe que se trata de um golpe. Quando o comprovante é enviado por meios eletrônicos, como WhatsApp, o golpista pode alterar a imagem para tentar esconder informações do agendamento.

Com softwares simples de edição, é fácil apagar os trechos de informações como hora e data que o dinheiro vai realmente cair na conta. "Pix agendado é como um 'cheque pré-datado" moderno e padece do mesmo mal: ele pode ser cancelado. Então, se a pessoa ou estabelecimento está aceitando Pix como forma de pagamento, deve-se tomar as devidas precauções até mesmo para cobrar o valor acordado por outros meios.

Os comprovantes de Pix agendados são diferentes dos comprovantes da operação normal. Além disso, os bancos não mandam aquela notificação de que você teve um dinheiro transferido para sua conta.

Como identificar o Golpe do Pix agendado

A possibilidade de agendar pagamentos futuros, disponibilizada nos aplicativos e no internet banking, é motivo de preocupação extra para comerciantes e pessoas físicas e caso de polícia porque possibilita armadilhas armadas por golpistas.

O golpista realiza a compra na loja ou a negociação direta com um vendedor e programa o pagamento para algumas horas depois ou para o outro dia, alegando que vai entrar um dinheiro na conta. Antes do horário ou data acordados os criminosos cancelam a operação, consumando o prejuízo.

A fraude do comprovante

enter image description here

Outra variação do mesmo golpe é a fraude do comprovante de agendamento. Os criminosos geram um Pix de centavos e alteram o valor antes de enviar o comprovante à vítima. O recebedor só vai perceber a armadilha na data futura acertada.

Apesar de as transações Pix serem rastreáveis pelo Banco Central, em geral os criminosos não incluem os próprios dados, o que inviabiliza ou dificulta a investigação.

Cinco dicas para evitar o golpe do Pix

banner acordo quero quitar

  • Entregue a mercadoria somente após ter o dinheiro em conta. O agendamento não garante o pagamento. O Pix agendado pode aparecer no extrato bancário como lançamento futuro, mas isso não é pagamento.

  • Cadastre o consumidor com comprovantes de residência e outras informações de referência antes de aceitar Pix parcelado ou agendado.

  • Evite compartilhar CPF ou outro dado pessoal, como chave Pix, com estranhos. Prefira o número do celular ou e-mail.

  • Consulte o extrato bancário para confirmar o pagamento do Pix e peça para a pessoa aguardar a conferência.

  • Verifique se o comprovante da transação contém número de ID ou da transação, valor transferido, data e hora, descrição da compra, informações do destinatário, informações do pagador.

A atitude preventiva ganha reforço com o monitoramento sistemático do seu CPF. Muitos dos golpes são aplicados a partir do uso indevido dos dados de identificação da vítima. Para ficar no controle da sua vida financeira é importante acompanhar tudo o que acontece com os seus dados.

Fique atento a estas informações e sempre confira o comprovante que estiver recebendo.

Compartilhe:

Artigos Relacionados

Card CTA

Na QueroQuitar você fecha acordos com até 98% de desconto!

Consulte seu CPF e veja as melhores ofertas para quitar dívidas.

QueroQuitar

Curta os nossos canais

Uma iniciativa QueroQuitar

Educação financeira é parte fundamental de uma vida tranquila. Pensando nisso, a QueroQuitar está produzindo vídeos e conteúdos para que você tenha mais conhecimento e tome melhores decisões sobre como lidar com seu dinheiro

Inscreva-se para receber nossa Newsletter preencha os campos abaixo.

Conheça nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso. WhatsApp - E-mail: contato@queroquitar.com.br
Copyright ©2015-2020 www.queroquitar.com.br, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Todo o conteúdo do site, todas as fotos, imagens, logotipos, marcas, dizeres, som, software, conjunto imagem, layout, aqui veiculados são de propriedade exclusiva da QueroQuitar S.A. É vedada qualquer reprodução, total ou parcial, de qualquer elemento de identidade, sem expressa autorização. A violação de qualquer direito mencionado implicará na responsabilização cível e criminal nos termos da Lei. Respeitamos todos os itens que nos cabe previstos na LEI Nº 12.965, DE 23 DE ABRIL DE 2014. E o DECRETO Nº 8.771, DE 11 DE MAIO DE 2016 QueroQuitar S.A - CNPJ: 54.042.668/0001-20 - R. Bahia, 843 - Higienópolis - CEP: 01244-001 - São Paulo - SP