Institucional

Golpe do PIX: Como não cair em ciladas


Mesmo já com algum tempo, o Pix ainda é um meio de transação para transferência de valores, bem novo se comparado em relação a outros como o DOC ou TED. E claro, que sempre que uma nova tecnologia é criada, com ela vem também uma nova onda de fraudes.

Nesse caso, a mais atual é o golpe do Pix. Com o surgimento do Pix, golpistas e criminosos, acompanham a evolução tecnológica e se aproveitam disso para criar novos métodos para roubar os usuários.

Para fugir desse tipo de situação, leia o artigo e descubra quais os golpes mais usados e como evitá-los.

O que é o Pix?

Criado pelo Banco Central em 16 de novembro de 2020, o Pix é mais uma das maneiras de fazer transferências e pagamentos bancários.

Por meio do Pix, é possível efetuar transferências e pagamentos sem cobrança de tarifas, diferente do DOC e TED. Veja algumas vantagens do Pix:

  • As transferências podem ser feitas a qualquer dia e horário;
  • Caem na mesma hora, não sendo preciso esperar para receber;
  • Não existe cobrança de tarifas.

Isso fez do Pix o meio de transferência mais utilizado, pois outras como DOC e o TED, não são gratuitos, além de só funcionarem em dias úteis e levarem mais de um dia para que o recebedor tenha o valor disponível em sua conta.

O problema é que as facilidades do Pix servem também aos mal intencionados e criminosos. Afinal a possibilidade de realizar transações gratuitas e imediatas a qualquer dia e horário atrai a atenção.

Saiba quais os principais tipos de golpe do Pix

Pessoa com um moleton de capuz e ziper, com o rosto oculto dentro do capuz, segurando um celular, com um fundo escuro atrás.

"Falha" no Pix

Esse golpe na verdade é uma atualização de outros mais antigos, adaptado ao Pix. Com a promessa de dinheiro fácil para o usuário, ele começa com a divulgação de uma notícia falsa.

Essa notícia vem geralmente por meio das redes sociais, afirmando existir uma falha no Pix, permitindo que as pessoas recebam um “prêmio em dinheiro” quando transferem valores para determinadas chaves.

Nesse tipo de golpe, o usuário transfere o valor para a tal “chave premiada” e o valor cai na conta do criminoso. O maior problema com esse tipo de golpe do Pix, é que será muito difícil conseguir desfazer a transação ou reaver o dinheiro. Isso porque, mesmo se tratando de um golpe, a vítima efetuou a transferência por vontade própria.

Como evitar

  • Nunca caia em promessas que anunciam dinheiro fácil;
  • Sempre desconfie pesquise sobre o assunto;
  • Procure saber sobre quem está oferecendo a facilidade e lembre-se de que o Pix é um processo de transferência autorizado pelo Banco Central, o que torna impossível esse tipo de “falha”.

WhatsApp clonado

Esse golpe também já existia antes do golpe do Pix, mas com a chegada da nova forma de transação, ele foi adaptado. Nesse tipo de golpe, o golpista, se passando por uma empresa, entra em contato com o usuário e solicita que este digite um código. Esse código é enviado pelo criminoso que pede à vítima que confirme, atualize ou autenticar algum cadastro.

Como evitar

  • Não informe códigos ou outras informações sobre seu Whatsapp para desconhecidos;
  • Não transfira nenhum valor para amigos ou conhecidos sem antes confirmar que realmente se trata daquela pessoa;
  • Outra medida importante é habilitar a autenticação em duas etapas na sua conta do WhatsApp.

Falso atendimento bancário

Nesse tipo de golpe, o criminoso ao se passar por um atendente do banco, convence o usuário a criar uma chave pix. Ele se aproveita do desconhecimento da vítima sobre o assunto. Após o usuário criar a nova chave, o golpista pede que seja feito um teste, transferindo um valor por meio do Pix. E uma vez feito isso, será muito difícil reaver o dinheiro transferido.

Como evitar

  • De maneira alguma informe seus dados bancários, seja por telefone, e-mail ou mensagem. Só coloque seus dados em canais oficiais do seu banco, como site ou aplicativo da instituição;
  • Desconfie sempre, quando receber links que solicitam a informação de dados bancários.

Páginas Falsas

A criação de páginas falsas é uma estratégia, onde o usuário é redirecionado para páginas falsas. Nessas páginas existem campos para colocar informações, como dados bancários, que são roubados nesse momento.

O golpe acontece após a vítima cadastrar uma chave Pix, que pode ser o CPF, telefone, e-mail ou chave aleatória, juntamente com dados bancários em uma dessas páginas falsas. Em sua maioria, elas vêm por meio de mensagens SMS e e-mail, com links que levam a elas.

Tendo os dados em mãos, o criminoso os usa para para fazer diversos Pix para contas que utilizam nesses golpes.

Como evitar

  • Certifique-se de que você está realmente na página original do seu banco antes de inserir qualquer dado;
  • Sempre desconfie de links enviados por e-mail ou SMS. Atente ao endereço de e-mail e número de envio;
  • Entre em contato com seu banco e confirme se o envio foi efetuado por eles.

banner acordo quero quitar

Espero que com essas informações você fique mais preparado para lidar com os golpes do Pix e fraudes aplicadas por criminosos.

Se quiser falar comigo ou tiver alguma dúvida, é só me mandar um e-mail: euquito@queroquitar.com.br. Vou adorar bater um papo com você!

Um abraço e até semana que vem.

Euquito.

Compartilhe:

Artigos Relacionados

Card CTA

Logo QueroQuitar laranja vertical

A QueroQuitar é a plataforma de negociação criada para facilitar a sua vida.

Consulte grátis!

Na QueroQuitar você fecha acordos com até 98% de desconto!

Consulte seu CPF e veja as melhores ofertas para quitar dívidas.

QueroRenda

Curta os nossos canais

Uma iniciativa QueroQuitar

Educação financeira é parte fundamental de uma vida tranquila. Pensando nisso, a QueroQuitar está produzindo vídeos e conteúdos para que você tenha mais conhecimento e tome melhores decisões sobre como lidar com seu dinheiro

Inscreva-se para receber nossa Newsletter preencha os campos abaixo.

Conheça nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso. WhatsApp - E-mail: contato@queroquitar.com.br
Copyright ©2015-2020 www.queroquitar.com.br, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Todo o conteúdo do site, todas as fotos, imagens, logotipos, marcas, dizeres, som, software, conjunto imagem, layout, aqui veiculados são de propriedade exclusiva da QueroQuitar S.A. É vedada qualquer reprodução, total ou parcial, de qualquer elemento de identidade, sem expressa autorização. A violação de qualquer direito mencionado implicará na responsabilização cível e criminal nos termos da Lei. Respeitamos todos os itens que nos cabe previstos na LEI Nº 12.965, DE 23 DE ABRIL DE 2014. E o DECRETO Nº 8.771, DE 11 DE MAIO DE 2016 QueroQuitar S.A - CNPJ: 54.042.668/0001-20 - R. Bahia, 843 - Higienópolis - CEP: 01244-001 - São Paulo - SP