Brasil apresenta deflação durante a Covid-19


5/19/2020

Institucional

Brasil apresenta deflação durante a Covid-19

"O índice surpreendeu por apresentar um percentual bem abaixo do esperado pelas previsões feitas no mercado."

Foi divulgado no início do mês de maio a inflação de abril de 2020, o primeiro mês completo após terem sido aplicadas as regras de distanciamento social e fechamento do comércio para diminuir a contaminação da Covid-19.

Devido à pandemia do novo coronavírus houve uma grande mudança no consumo e na dinâmica da sociedade. Muitos comércios foram impedidos de funcionar fisicamente e passaram a atuar somente online. Outros, como salões de beleza por exemplo, não tem como oferecer seus serviços pela Internet, e ficam sem poder trabalhar. Além disso, muitos trabalhadores tiveram o contrato suspenso ou foram demitidos. Por isso, a insegurança na hora de gastar faz com que priorizem apenas o essencial, como alimentação, moradia e saúde.

Para sobreviver, muitas empresas estão ampliando seu catálogo de produtos, fazendo promoções e concedendo descontos generosos. Todos estão tentando, de todas as formas que podem, passar por esse período turbulento. Tudo isso acarretou na diminuição da média de preços da cesta de produtos analisadas pelo IPCA, taxa de inflação mais popular no Brasil.

De acordo com o IBGE (opens new window) (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), todos os setores analisados, com exceção de alimentação e bebidas, sofreram uma queda brusca. Como consequência o índice geral apresentou uma variação negativa no período. Mesmo que o percentual do setor alimentício tenha subido, não foi o suficiente para compensar a queda dos demais setores, ocasionando a deflação no mês de abril.

IPCA abr 20 (opens new window)

Com essa situação colocada, vamos aos pontos que são importantes para entender mais sobre esse assunto.

O que é deflação?

A deflação é quando ocorre uma queda na média dos preços da cesta de produtos utilizada para calcular a inflação. Sendo assim, podemos dizer que a deflação é quando esse índice tem um valor menor que zero.

Diferença entre deflação e inflação

A inflação é um índice mensal que calcula o aumento de preço dos produtos e serve como um termômetro para medir a situação econômica do País.

Quando a inflação está muito elevada é ruim para as pessoas pois, com o salário que recebem, conseguem comprar cada vez menos produtos no supermercado, por exemplo. Por outro lado, quando acontece a deflação, as pessoas param de consumir, aguardando que os preços caiam ainda mais. Como as famílias não consomem, os preços continuam caindo, criando uma espiral que pode levar a economia a simplesmente parar de funcionar.

Diferença entre deflação e desinflação

Falamos acima que a deflação é quando a inflação está negativa, mas é preciso ter atenção para não fazer confusão com a desinflação. A desinflação é quando o índice de inflação diminui de maneira gradual. Por exemplo, quando os preços aumentam um percentual menor do que no mês anterior, isto geralmente é um bom indicador de que a economia está trabalhando de maneira positiva.

Porque ocorre deflação?

A deflação pode acontecer por vários motivos, como um aumento na concorrência que ocasiona a diminuição de preços para aumentar a competitividade no mercado. Ou uma crise em algum setor que influencia no comércio e no consumo, como é o caso dessa pandemia que estamos passando no momento.

O que acontece quando ocorre deflação?

Conforme mencionamos acima, a economia diminui o ritmo. Isso pode impactar nos investimentos que as empresas fazem, diminuindo contratações, deixando de ampliar fábricas, etc. Menos investimentos, menos empregos, menos consumo.

"Ainda é cedo para afirmar algo, mas esse resultado impacta diretamente no desempenho econômico do País como um todo, ao fim do ano."

IPCA histórico geral (opens new window)

A última vez que o IPCA atingiu um valor negativo foi em setembro de 2019, quando teve a média mensal de -0,04. Porém, o Brasil não tem uma taxa tão baixa de inflação desde agosto de 1998, quando atingiu -0,51, o valor mais baixo registrado nas últimas décadas.

Para ficar atualizado e receber mais informações sobre esse e outros temas no mundo da economia e finanças pessoais, assine nossa newsletter e acompanhe nossas publicações.

Na QueroQuitar você tem acordo

As melhores condições para quitar as dívidas. Sempre!

QueroRenda

Curta os nossos canais

Uma iniciativa QueroQuitar

Educação financeira é parte fundamental de uma vida tranquila. Pensando nisso, a QueroQuitar está produzindo vídeos e conteúdos para que você tenha mais conhecimento e tome melhores decisões sobre como lidar com seu dinheiro

Inscreva-se para receber nossa Newsletter preencha os campos abaixo.

Conheça nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso. WhatsApp - E-mail: contato@queroquitar.com.br
Copyright ©2015-2020 www.queroquitar.com.br, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Todo o conteúdo do site, todas as fotos, imagens, logotipos, marcas, dizeres, som, software, conjunto imagem, layout, aqui veiculados são de propriedade exclusiva da QueroQuitar S.A. É vedada qualquer reprodução, total ou parcial, de qualquer elemento de identidade, sem expressa autorização. A violação de qualquer direito mencionado implicará na responsabilização cível e criminal nos termos da Lei. Respeitamos todos os itens que nos cabe previstos na LEI Nº 12.965, DE 23 DE ABRIL DE 2014. E o DECRETO Nº 8.771, DE 11 DE MAIO DE 2016 QueroQuitar S.A - CNPJ: 54.042.668/0001-20 - R. Bahia, 843 - Higienópolis - CEP: 01244-001 - São Paulo - SP